A DIDÁTICA DE LIBÂNEO

6 Jul, 2017

A DIDÁTICA DE LIBÂNEO

 

O autor José Carlos Libâneo em sua obra “Didática”, aborda, com preocupação, a atuação docente e os diferentes métodos de ensino da atualidade, fazendo uma explanação dos conceitos didáticos e das tendências pedagógicas. Ele afirma que a didática auxilia o professor na direção e orientação das tarefas do ensino e da aprendizagem, fornecendo-lhe segurança profissional.

Segundo Libâneo, a didática é uma disciplina pedagógica que estuda o processo de ensino no seu conjunto teórico e prático, no qual os objetivos, conteúdos, métodos e formas planejados na aula, relacionam-se entre si para criar uma condição satisfatória de conhecimento e aprendizagem que produzam sentido e significado para o aluno.

O professor é o mediador do conteúdo transmitido. Ele deve propor atividades que conduzam o educando para a condição de sujeito ativo da própria aprendizagem no processo de transmissão e assimilação do conhecimento. O professor precisa estar atento aos aspectos cognitivos e subjetivos do aluno para desenvolver o aprendizado e torná-lo mais significativo.

O autor defende os métodos didáticos que são capazes de despertar no educando o raciocínio próprio. É interessante que um aluno explique uma ideia com suas próprias palavras e consiga aplicar o conhecimento adquirido em diferentes ambientes. Libâneo é contrário ao método tradicional mecanizado e repetitivo de ensino, em que apenas memoriza-se o que o professor fala.

A proposta do autor é que as aulas estimulem no aluno o ato de raciocinar, para que eles se tornem sujeitos ativos, formadores de opinião, com capacidade de refletir as suas próprias atitudes e as ações que movem o mundo, pois a escola deve preparar o aluno para o mundo adulto e suas contradições de forma democrática, deve despertá-lo para a crítica e o questionamento dos fatos e sua posição diante da sociedade.

Libâneo afirma que a escola é uma cultura organizacional e o funcionamento dela é fruto das relações estabelecidas entre seus membros. Essa cultura pode ser modificada pelas próprias pessoas. Ela pode ser discutida, avaliada, planejada, em um rumo que responda aos propósitos da direção, da coordenação pedagógica, do corpo docente e discente. Esses fatores contribuem para a construção do projeto pedagógico escolar. É certo que a escola possui a sua cultura, mas ela é também um lugar de mediação entre as diferentes culturas.

A escola está associada à moral e à ética. Há um conceito pré-estabelecido que a educação escolar ajude a formar sujeitos cultos e dignos. Ela é a esperança da formação cultural, do progresso, da conquista, da dignidade, da emancipação e continua sendo o caminho para igualdade e inclusão social, pois propicia aos alunos conhecimento, estratégias e procedimentos de pensar sobre valores e critérios de modos de decidir e agir.

 

VOCÊ PODE TUDO!

Gostou? Então compartilhe com seus amigos!